Texto de Maria Alice Cury

13/12/2006

Introdução

Este trabalho foi desenvolvido em ambulatório de convênio para pessoas idosas, às quais atendi durante dois anos.
A princi
pal técnica utilizada foi a Calatonia em diversas partes do corpo, bem como os toques sutis.
Observando-se mudanças significativas no comportamento desses indivíduos como maior independência, superação de seus medos, ansiedades, melhora nos relacionamentos com os demais e conseguindo organizar-se melhor tomando atitudes mais adequadas.

1 – Paciente de 76 anos com câncer generalizado, nos ossos – fase terminal. Queixa-se de dores pelo corpo e refere que foi ausente com sua família. Feito levantamento do que gostaria no momento para sua vida.
Descreve sua vida na fazenda em que viveu e hábitos típicos da região. Feitos trabalhos corporais – Calatonia nas diferentes áreas do corpo; Massagem Integrativa e conversas. O que diminuiu suas dores. Conseguimos orientar a família no sentido de se aproximar mais dele, apenas permanecendo perto ou tocando suas mãos. O filho que morou no exterior aproximou-se. A esposa proporcionou-lhe coisas que gostava: alimentos, fotos de família, músicas sertanejas. Desta maneira o paciente lidou melhor consigo até o final de seus dias.

2 – Paciente de 57 anos vem com a queixa de síndrome de Pânico, medos da morte, de sair à rua, de dirigir o carro, desmotivado e em depressão. Ao final de seis meses de trabalho o paciente refere diminuição dos medos, foi reduzida sua medicação, voltou a dirigir sozinho, suas consultas médicas diminuíram, sentia-se fortalecido, as dores pelo seu corpo desapareceram. E foi dada a ele a alta em terapia. Feito todas as técnicas corporais e toques.

3 – Paciente de 61 anos, em depressão e com problema de alcoolismo. E remissão. Paciente se mantém estável. Queixa-se de problemas físicos. Muito dependente dos filhos. Só fazia o que mandavam. Durante a terapia fez três cirurgias. O tratamento desenvolveu-se durante seis meses. Foram feitos muitos trabalhos na cabeça e as diferentes técnicas de relaxamento e toques (P.Sandor). Quase no término do tratamento observa-se que vem sozinha às sessões, bem cuidada, mudou o visual, deixou de beber e superou as cirurgias. Feitos vários trabalhos na cabeça, Jacobson e outras técnicas de relaxamento. Paciente está mais independente e faz tarefas de casa, cuida dos netos.

4 – Paciente de 76 anos, diagnosticada com Alzheimer, apresenta-se confusa, em depressão, devido a perda do companheiro, medos de ficar só em casa, de sair sozinha. Permaneceu um ano em terapia. Feitos relaxamentos, Calatonia, Schultz, toques, batidinhas pelo corpo, 8 na cabeça. Após este período a paciente começou a organizar-se, cuidar de si e da casa, passou a dormir sozinha sem empregada, a dirigir seu carro, a ir a shopping almoçar sozinha, a sair só ou com amigas em programas culturais como concertos, cinemas. Recuperou sua memória e apresentou bem estar físico.

5 – Paciente de 59 anos, em depressão, mora com filho e nora. Apresentou vários episódios de tentativas de suicídio (tiro no coração, jogou-se na frente de caminhão). Feito relaxamento e técnicas corporais várias partes do corpo e toques sutis. Após 8 meses foi morar só, pois o relacionamento com a nora era difícil. No início não preparava as refeições e não saia de casa. No decorrer do trabalho começou a preparar suas refeições, a sair para caminhadas, a se relacionar com amigas e então teve alta da terapia, após avaliação do trabalho e depois de se organizar melhor.

Conclusão

Após este trabalho de abordagem corporal, especialmente com as técnicas do Prof. Sandor, utilizadas semanalmente, notou-se melhora da condição física, do raciocínio e memória, na atenção e concentração, diminuição dos medicamentos e das consultas médicas.

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •